Projeto social “Diamantes na Cozinha” ensina a gastronomia cidadã

As inscrições estão abertas até o dia 27 de junho

Idealizado pelo chef João Diamante, trabalho social instrui gratuitamente durante 6 meses, desde o cultivo dos alimentos a finalização do prato

Com intuito de formar cidadãos conscientes do espírito de equipe na hierarquia, o projeto social Diamantes na Cozinha usa a gastronomia como ferramenta de transformação e oferece aulas abrangentes que permitem aos alunos a compreensão sobre todos os processos da gastronomia, focando no mercado de trabalho ou quem sabe em projetos próprios.

As inscrições são feitas através do link (CLIQUE AQUI) e na segunda fase, o processo seletivo acontece presencialmente para que tenha um primeiro contato na Rua Lopes da Cruz, 322, no Méier. As aulas são abrangentes e permitem aos alunos a compreensão sobre todos os processos da gastronomia e desde o começo de 2018, mais de 2 mil pessoas passaram pelo curso.

João Diamante durante aula com a 4º turma do Projeto Diamantes na Cozinha. Foto: Eduardo Almeida

Teste 2

Atualmente, o idealizar do projeto, João Diamante, é Chef de cozinha no espaço NA Minha Casa, Jurado do Programa Cozinheiros em Ação – GNT, empresário, consultor gastronômico com expertise em gestão de pessoas e treinamento de equipes no setor de Alimentos e Bebidas, realiza palestras motivacionais e tornou-se um grande ativista social.

João mantém a iniciativa do Diamantes na Cozinha por meio de doações e de voluntários que se desdobram para passar os mais valiosos ensinamentos da gastronomia. As aulas duram seis meses, são gratuitas e as matrículas estão abertas para pessoas a partir de 18 anos com segundo grau completo, independentemente da posição social, étnica, religiosa ou política.

Para maiores informações, os interessados devem entrar em contato com a coordenação através do telefone 21 98383-8741.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]