Primeira noite de desfiles do grupo de acesso levanta a Marquês de Sapucaí

Foto: Betinho Casas Novas / Jornal Voz das Comunidades

Uma das escolas mais esperada era a Estácio de Sá, que tenta voltar ao grupo especial com enredo “É! O moleque desceu o São Carlos, pegou um sonho e partiu”

 

Uma das épocas mais esperada pelos cariocas é o carnaval. Evento que começa a ser preparado antes mesmo de começar o novo ano. A  festa não é só comemorada por cariocas e brasileiros, mas por turistas que visitam a cidade para conhecer os blocos e assistir os desfiles das escolas de samba.

Secretária de Cultura, Nilcemar, entrega a chave da cidade para o Rei Momo. Foto: Renato Moura / Jornal Voz das Comunidades

Ausência do prefeito do Rio

Como tradição, toda sexta-feira de carnaval é realizado uma “Cerimônia de Abertura do Carnaval do Rio” feita sempre com participação do prefeito da cidade e membros do samba. Só que este ano foi diferente: a cerimônia que conta com a posse da “Chave da Cidade” que é passada das mãos do prefeito ao Rei Momo, simbolo do carnaval, não aconteceu. O atual prefeito, Marcelo Crivella, não compareceu, passando a “bola” para a Secretária Municipal de Cultura, Nilcemar Nogueira. A posse foi feita junto de membros do mundo do samba e membros da Prefeitura do Rio.

Primeiro dia de desfiles

Teste 2

Sete escolas do grupo de acesso abriram o primeiro dia de desfiles na Marquês de Sapucaí, começando pela Acadêmicos do Sossego, que subiu para o Grupo de Acesso ano passado. A escola da cidade fluminense de Niterói, desfilo com bonita, com o enredo “Zezé Mota – A deusa de Ébano” animou com as cores vibrantes Azul e Branco na avenida.

Primeiro casal de mestre sala e porta bandeiras, se concentrando antes do desfile Foto: Betinho Casas Novas / Jornal Voz das Comunidades

Logo em seguida veio a Alegria da Zona Sul, que teve um pequeno problema em um princípio de incêndio em uma embreagem do segundo carro. Na hora causou um grande susto nos componentes e no público do setor 1, onde o carro ficou parado para a contenção do incêndio. Após rápida ação dos bombeiros e membros da agremiação, a escola pôde desfilar sem atrasos. A agremiação do Cantagalo/Pavão-Pavãzinho homenageou a cantora Beth Carvalho, que veio sentada no último carro durante quase todo desfile.

A cantora Beth Carvalho, que foi homenageada pela Alegria da Zona Sul. Foto: Betinho Casas Novas / Jornal Voz das Comunidades

Unidos do Viradouro veio em seguida com o enredo “Todo menino é um rei”, inspirado nos acordes da canção de Nelson Rufino e Zé Luiz. A agremiação coloriu a avenida com suas cores Vermelho e Branco, animando o público.
Império da Tijuca, União Parque Curicica, Estácio de Sá e Acadêmicos de Santa Cruz, seguiram com os desfiles, encerrando a primeira noite no sambódromo. A mais esperada era a Estácio de Sá. A agremiação da comunidade de São Carlos, Zona Norte do Rio, veio com o enredo “É! O moleque desceu o São Carlos, pegou um sonho e partiu” surpreendendo com a bateria que levantou os setores da Marquês.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]