MANUAL DO ROLÉ – URCA

Foto: Layane Coelho
Foto: Layane Coelho

O carnaval já começou pra muita gente, mas nem todo mundo curte a folia e prefere aproveitar os dias de folga para descansar ou fazer um passeio tranquilo, longe da multidão que acompanham as festas. Pensando nisso, a dica é desfrutar as belezas do bairro da Urca, localizado na Zona Sul da cidade. A Praia Vermelha fica entre o morro do Pão de Açúcar e da Babilônia, com cerca de 300 metros de extensão, é pequena, mas atraente e calma, ótima para quem não gosta de praias muito cheias.

Outra opção é fazer a trilha do Morro da Urca que dura, em média, 40 minutos e permite aos aventureiros um contato direto com a natureza em meio à cidade. Ao chegar ao topo, tem-se uma vista privilegiada da cidade, o Museu do Cocoruto, que conta a história do local, e algumas mesas para sentar e descansar depois da caminhada.

Foto: Layane Coelho
Foto: Layane Coelho

A Urca, além do encanto natural, conta com importantes instituições de ensino, como um campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Instituto Militar de Engenharia (IME) e Escola de Guerra Naval (EGN). Um lugar interessante para conhecer, também é o Museu de Ciências da Terra – MCTer, conhecido como Palácio da Geologia. O prédio tem estilo neoclássico e amostras de minerais, fósseis, rochas, meteoritos e cerca de 90 mil volumes de publicações sobre geociências.

Teste 2

Museu de Ciências da Terra – MCTer:

Endereço: Av. Pasteur, 404 – Urca | Rio de Janeiro/RJ – CEP: 22290-240

Horário de funcionamento: As visitas podem ser feitas de terça a domingo, das 10h ás 16h.

Atendimento: A entrada é gratuita. A visita de grupos podem ser agendada por telefone (9h ás 12h ou 14h ás 17h)

Contato: Telefone: (21) 2546 – 0342

Museu do Cocoruto:

Endereço: Avenida Pasteur, 520 – Rio de Janeiro/RJ CEP: 22290-255

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]