Começamos um novo ano. Resistiremos!

Foto: Josiane Santana
Texto: Thiago Torre

Ao início de cada ano, algumas muitas pessoas são adeptas a uma lista de pedidos. A ideia se faz em colocar no papel tudo o que se quer ao longo do ano.

Por exemplo: um novo amor, aquela dieta, viajar, ganhar – ou poupar – dinheiro, ser voluntário em uma causa social, voltar a estudar etc. Ser mais paciente, tolerante, alegre e feliz. Reclamar menos, agradecer mais, saber se colocar no lugar das pessoas e – por que não? – votar consciente em época de campanha?!

Teste 2

Nada melhor do que compreender que estamos em constante mudança, e olha só, meu bem: ninguém se faz capaz de mudar outro alguém! O segredo está em nossa própria mudança, e quando assim acontece, aqueles que estão ao nosso redor podem ser contagiados a mudar também.

Alguns mudam; outros, não!

Enfim, entre gregos e troianos, chegamos ao tão esperado e temível 2019. Agora, me diz se vale a pena iniciar esse ciclo pesado de negatividade, com aquele pensamento de que acabou mais um ano e boa sorte?!

Qual a sua listinha para esse ciclo novo que acabamos de iniciar? Conte-me, aqui, o que nela contém… Se aparecer agora o gênio da lâmpada em sua direção: qual pedido será feito?

Ficou combinado para esse ciclo chamado 2019 que “ninguém solta a mão de ninguém” e que todos nós, juntos e misturados, unidos em um só propósito, seremos resistência, sim!

Não há como começar um planejamento com um olhar pessimista e pensamento negativo. Estejamos preparados, sim, para o que vier. Que nossa ação seja de fato otimista e que tenhamos, nós, o pensamento positivo em prol do todo – assim, podemos construir um Brasil melhor!

Existe um escritor que diz: “se teus olhos forem bons, todo o corpo será iluminado”. Já o refrão de “Eu sou nua”, dos Novos Baianos, fala que “o corpo mesmo está por dentro da pele”.

Outra pergunta: o que está sendo produzido dentro de você?

O lema para 2019 é resistência, um substantivo feminino que significa: “propriedade de um corpo que reage contra a ação de outro corpo”. Mais uma vez e sempre: estejamos preparados, sim, para o que vier.

Nada está finalizado, e particularmente acredito que águas vão rolar e tudo pode acontecer. Lembrando que, enquanto estivermos na ativa, faremos e daremos apenas o nosso melhor. Vai encarar ou anestesiar?

Enquanto isso, nosso mantra será a canção do Raul Seixas que diz assim: “não diga que a canção – a nossa luta – está perdida, tente – vamos tentar – outra vez”.

Detalhe que, ficou decidido a cor do momento: será o verde, simbolizando a esperança de dias melhores sim!

Jamais desistiremos.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]