Atleta da Favela Kelson: Xandinho recebe apoio de jogadores da França e EUA

Foto: Renato Moura
Foto: Renato Moura/Voz das Comunidades

Menino vende empadas na comunidade para seguir o sonho de ser jogador de futebol e recebe apoio de atletas de times internacionais

A história do Xandinho, morador da favela Kelson (Maré) que foi contada no Especial de Natal do Voz das Comunidades quebrou a barreira do Brasil e chegou em outros países. O menino de 12 anos que vende empadinhas para continuar seguindo seu sonho de ser jogador de futebol, se tornou conhecido de dois grandes atletas que fazem carreira lá fora e dessa vez, o Papai Noel chegou atrasado, mas recheado de presentes.

O camisa 29 do Orlando City (EUA), Stéfano Pinho, ficou emocionado com a dedicação de Xandinho e entrou em contato para conhecer mais sobre sua vida e mandar presente. “Feliz Natal, Xandinho! Que Deus abençoe você e sua família. Nunca desista dos seus sonhos. Um abraço do seu amigo, Stéfano.” – escreveu o atacante de 27 anos, em bilhete enviado com uma nova chuteira. “A história dele me chamou atenção, não é fácil passar por tudo que ele tá passando e manter o sonho acesso. Diga a ele para seguir firme e que as vezes terão dificuldades mas que ele tem que ir adiante. Quando conseguir ir no Rio quero conhece-lo e comer essas empadinhas”.

Outras duas chuteiras também estão a caminho da Kelson e logo chegam na casa de Xandinho. Essas foram enviados da França, onde mora o lateral Rafael da Silva, que se sensibilizou com a história do garoto. O jogador foi revelado nas categorias de base do Fluminense, e atua como camisa 4 no Lyon. 

Teste 2

Mãe de Xandinho da Empada, um dos maiores empreendedores da Favela da Kelson, Viviane Lopes conta que está muito feliz com a repercussão e agradece a atenção dada ao seu filho. “Muito gratificante o que estão fazendo pelo meu filho. Obrigada pela força”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]