Rocinha organiza desfile no meio da Via Apia

Na agenda do Rio + 20 dessa semana, estava programada uma visita dos chefes de Estado ao curso de modelos da Rocinha e presença no desfile, preparado para eles, no Complexo Esportivo da comunidade.

Mas não aconteceu, pelo menos não da forma que tinha sido preparado. Os chefes de Estado não foram e desmarcaram em cima da hora. Mas eles não ficaram parados, Zé Luis, fundador do curso, que trabalha com moda há mais de 20 anos, não deixou a peteca cair.

Teste 2

Organizaram um desfile em plena Via Apia, rua principal da Rocinha, com direito a fleches, filmagem e muitos moradores vendo e aplaudindo. O desfile deu início do começo da Via Apia e foi até o Complexo Esportivo. Os modelos deram um show de superação e criatividade, desfilando de forma impecável entre carros, motos e moradores, uma rua super movimentada. Além disso, as roupas estavam impecáveis com acessórios recicláveis, que chamavam muita atenção.

“O nosso sucesso vem dos moradores da Rocinha em primeiro lugar. Depois de hoje as meninas e os meninos estão preparados para tudo. Desfilar em plena rua movimentada é só para quem sabe. O importante é nunca desistir e continuar trabalhando, uma hora a gente chega a algum lugar”, declarou Zé Luis.



Mas teve muita gente que não gostou da disfeita e reclamou. “Eles estão praticamente brigando para fazer um documento que vai beneficiar só uma pequena parcela da população. Eles estão resolvendo problemas deles e não do mundo. Se esse documento fosse para o povo já tinha saído”, criticou morador da Rocinha, que não quis se identificar.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]