Manhã de tiroteio durante operações na Mangueira e em Madureira; VÍDEO

Vale lembrar que as operações policiais em favelas do Rio de Janeiro permanecem suspensas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) durante a pandemia. As operações só podem ser realizadas “em hipóteses absolutamente excepcionais, que devem ser devidamente justificadas por escrito pela autoridade competente”
Foto: Renato Moura / Voz das Comunidades

Nesta manhã de terça-feira (27), policiais realizam operações em diversas favelas do Rio. Além da grande operação no Complexo da Maré, há ocorrências em andamento em mais dois pontos: Mangueira, na Área Central, e no Morro da Serrinha, em Madureira, Zona Norte.

Na Mangueira, policiais militares do BOPE estão na comunidade. A Polícia Militar confirmou que houve confronto no início da ação. Segundo a PM, um indivíduo foi encontrado ferido e houve apreensão de um fuzil. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Municipal Souza Aguiar. A operação segue em andamento.

A operação também está em andamento na comunidade da Serrinha. De acordo com a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Polícia Militar, a ação tem como objetivo a retirada de barricadas e checagem de denúncias.

Teste 2

No Complexo da Maré, uma grande operação da Polícia Civil segue em andamento nas comunidades do Parque União e Nova Holanda.

Vale lembrar que as operações policiais em favelas do Rio de Janeiro permanecem suspensas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) durante a pandemia. As operações só podem ser realizadas “em hipóteses absolutamente excepcionais, que devem ser devidamente justificadas por escrito pela autoridade competente”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]