Espaço com lixão a céu aberto na Alvorada é revitalizado após denúncias dos moradores

O problema ocorria há alguns anos e foi solucionado pela Comlurb no dia 5 de março
Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades
Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

No lugar de um lixão a céu aberto, hoje, há seis caçambas de lixo organizadas em um chão de concreto. Esta é a imagem que vemos ao chegar na Praça do Cruzeiro, na localidade da Alvorada, no Complexo do Alemão.

Este lixão existia há alguns anos, segundo os moradores. Isso por conta de escavadeiras da Comlurb que faziam serviço de coleta. Em consequência da ação, acabou se tornando um buraco cheio de lama e chorume, impactando diretamente na vida e cotidiado de todos. Mas, após pouco mais de um mês da reportagem em que moradores denunciaram a situação de descaso, o local foi finalmente revitalizado pela Comlurb, no último sábado (5).

A infestação de tapurus e moscas, além do mau cheiro 24 horas por dia, já não fazem mais parte do cotidiano dos moradores dali. Como conta Girleide Andrade, de 43 anos, que foi a personagem principal da última matéria.

Teste 2

“Naquele dia [da reportagem] a gente não conseguia nem ficar aqui fora. Agora todo mundo fica. Então, valeu a pena! Já poderiam ter resolvido antes. Tiveram que esperar o Voz das Comunidades vir para cá para resolverem”, desabafa.

Girleide Andrade mostra alívio após terem resolvido a situação
Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Ela enfatiza, animada, que antes tinha que deixar portas e janelas fechadas o dia inteiro por conta do odor, mas que agora não precisa mais. “Passa o dia assim, tudo aberto”, diz, apontando para a frente de sua casa.

A Comlurb, segundo os moradores, recolhe o lixo duas vezes ao dia. Ainda de acordo com eles, a quantidade de caçambas, até o momento, que passou de duas para seis, tem dado conta da necessidade de todos.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]