Empreendedora do Alemão produz bolsas com miçangas que já são referências na comunidade

As peças da loja Klen, produzidas por Ellen Rumarco em parceria com o amigo Klerylton, tem dado o que falar na comunidade
Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades
Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Se você gosta de curtir a noitada bem garota com acessórios que chamem a atenção de todo mundo, as peças da Klen foram feitas pra você! Com muita criatividade e talento, a jovem moradora do Alemão Ellen Rumarco já tem causado um burburinho nas redes sociais com sua moda. 

Ellen tem 25 anos e faz faculdade de design de moda na faculdade Estácio. Desde criança, seu sonho sempre foi trabalhar com moda, mas pra quem é pobre e não tem QI (o famoso ‘quem indica’), nada é fácil. Durante 3 anos, trabalhou no setor de venda de roupas em shopping só para descobrir que aquela vida não era para ela.

Após longos anos, uma decisão: a demissão e tentativa de se lançar do zero. Com o incentivo de seu amigo Klerylton, sócio da marca e morador do Gardênia Azul, Ellen juntou a necessidade de pagar os boletos com sua criatividade e tan-dam: surgiu Klen

Os acessórios da Klen são produzidos artesanalmente
Foto: Selma Souza/ Voz das Comunidades

Teste 2

A loja do Klerylton e da Ellen (isso mesmo, Kl + El = Klen) se baseia no princípio de slow fashion, algo como “moda lenta” em português. A ideia é produzir peças sob encomenda, sem excesso de produto. Até porque, como conta a designer.

“A bolsa mais simples eu demorei 4 horas fazendo e essa daqui (a bolsa transparente da foto acima), bem paty, eu demoro 6 ou 7 horas”.

Ellen Rumarco desenha e cria as peças de sua marca
Foto: Selma Souza/ Voz das Comunidades

Ellen começou sua loja virtual no primeiro carnaval de 2022 e suas peças já estão dando o que falar nos eventos por aí.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]