Primeira mostra de poesia infanto-juvenil da Maré terá premiação

As crianças da Favela da Maré produziram poesias em formato áudio visual falando sobre pandemia. A poesia que tiver mais curtidas do publico, vai levar o premio em dinheiro

Foi através da arte, especificamente o teatro, dentro da favela da Maré, zona norte do Rio de Janeiro, que o jovem ator Pablo Marcelino teve acesso à escrita literária, à poesia e à cultura. Ele começou muito cedo, aos 10 anos de idade no projeto social Entre Lugares, e desenvolveu todo seu talento, amor pela atuação, escrita criativa e pesquisa de campo com a favela. Pablo teve estímulo junto a outras crianças, o que despertou no ator a devolutiva de tudo aquilo que lhe foi ensinado.

A ideia da poesia tem um propósito especial na vida do pequenos. Além de toda sensibilidade que a poesia traz, Pablo quer despertar na criançada o prazer da leitura e a escrita criativa. “A poesia vai fazer com que a criança exponha através de seus pensamentos todo seu olhar, tudo que está guardado dentro dela, principalmente sobre seu território”.

A proposta era que cada criança fizesse sua poesia e gravasse um vídeo de 1 minuto, que foi postado no YouTube com o tema: Quarentena.
O vídeo que tiver mais curtidas ganhará uma premiação em dinheiro, no valor de R$ 300,00 (trezentos reais). As categorias são divididas em 3 faixas etárias: 10-11 anos, 12-13 anos e 14-15 anos.

Teste 2

As inscrições já foram encerradas. E já foi feita uma seleção de crianças da favela da Maré para expor em vídeo suas inquietações a respeito da pandemia.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]