Conheça a Plataforma Potências Periféricas que permite “match” entre periferias e investidores

Criada por organizações das periferias e investidores sociais, a plataforma promove encontros, doações e parcerias direcionadas às periferias do Brasil
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Desde agosto de 2021, a Plataforma Potências Periféricas tem sido um espaço seguro para fomentar o ecossistema de cultura sustentável das periferias. O objetivo do espaço é fazer um matching para que as periferias possam encontrar financiadores e que eles possam trabalhar ainda mais com as potências das periferias brasileiras, facilitando o encontro e a aproximação entre doadores, donatários e prestadores de serviços. Após mais de um ano de planejamento, a plataforma foi oficialmente lançada na terça-feira, 19 de abril.

O projeto nasceu a partir de um encontro da Rede de Trabalho de Grantmaking do GIFE (Grupo de Institutos Fundações e Empresas), em dezembro de 2019. De lá para cá, um grupo de trabalho foi criado com pessoas de periferias juntamente aos investidores do campo social. E, em 2020, a ideia foi finalista do edital do Fundo Bis.

Foi aí que nasceu a Plataforma Potências Periféricas, fruto do esforço e empenho da Rede Potências Periféricas, do Instituto Jatobás, das Fundações ABH e Fundação Tide Setubal e contou também com o apoio da L9 – Estúdio Criativo.

Teste 2

“Desde a sua criação, a plataforma é um encontro poderoso de pessoas da periferia e das suas histórias de resistência e criatividade. Esta ferramenta permite, por exemplo, que um jovem que toca um projeto de agroecologia e hortas comunitárias no extremo leste da cidade de São Paulo possa se conectar com a coordenadora de um grande instituto que invista nesta causa”, relata o coordenador de comunicação e mobilização da Rede Potências Periféricas, Bernardo Carvalho.

Segundo a Plataforma Potências Periféricas, houve uma preocupação com a segurança digital durante todo o seu processo de desenvolvimento. Antes da inserção dos filtros que servem como base para os matchings (encontros), foram feitas pesquisas, conversas e encontros com mais de 90 potências e 35 financiadores, que avaliaram e sugeriram modificações. Além disso, eles contam que a plataforma contará com uma equipe dedicada que terá como objetivo principal fazer toda a gestão, suporte e resolução de desafios que possam surgir no dia a dia.

Para saber mais, acesse diretamente o site (https://potenciasperifericas.org.br/) e conheça.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]