Cozinheiros do Alemão são protagonistas no Circuito Gastronômico de Favelas

Foto: Jacqueline Fernandes
Foto: Jacqueline Fernandes

COMPLEXO DO ALEMÃO É A PRIMEIRA FAVELA A RECEBER O FESTIVAL NO RIO

Após duas edições em Belo Horizonte (MG), chegou a hora da gastronomia carioca e os cozinheiros das comunidades serem os protagonistas do Circuito Gastronômico de Favelas. O projeto, que é uma iniciativa da produtora cultural Danusa Carvalho e do rapper Flávio Renegado, tem como objetivo mostrar a potência da culinária das comunidades, respeitando suas culturas e fortalecendo a identidade gastronômica como patrimônio material da favela, reconhecendo o potencial de gerar renda.

Foto: Jacqueline Fernandes
Foto: Jacqueline Fernandes

“A cidade passa por um momento crítico, e ações como o Circuito Gastronômico de Favelas podem contribuir para trazer autoestima e legitimidade aos moradores de comunidades, já tão impactados com a violência e desvalorização do ser humano”, explica Danusa.

Fazendo a estreia do Circuito Gastronômico de Favelas na cidade, o Complexo do Alemão foi a primeira região a receber o evento. Em parceria com a ONG Voz das Comunidades, a reunião de sabores aconteceu hoje (18) e contou com oito cozinheiros, que apresentaram seus mais variados pratos, prometendo o melhor tempero para os visitantes na rua Engenheiro Manoel Segurado – no Morro do Adeus.

Teste 2

“A participação do Voz das Comunidades na produção do evento foi um grande convite da Danusa e do Flávio, ainda em BH. Eles estavam com a ideia de trazer o Circuito para Rio de Janeiro, em um formato em que as pessoas pudessem dançar, curtir e comer bastante. Contamos também com o João Diamante, um chefe incrível que já trabalhou em Paris e outras cidades do mundo e agora se juntou para fazer o Circuito com a gente”. É curioso, porque as pessoas sentem medo, escutam a palavra gastronomia e acham logo que é algo caro, mas é tudo muito barato. Nada passa de 15 reais.”. Contou Rene Silva, Presidente da ONG.

Foto: Jacqueline Fernandes
Foto: Jacqueline Fernandes

João Diamante, cria do morro do Andaraí, é embaixador do Circuito e foi responsável pela seleção e capacitação dos cozinheiros. Sua missão foi empoderar e treinar os oito selecionados para participar do evento, que variou entre clados, lanches, doces e refeições completas. A procura foi tanta que, por conta da grande quantidade de pedidos, algumas barracas tiveram seus estoques finalizados antes mesmo no término do festival, mas nada desanimou a dona Vilma Maria, moradora do Campo do Seu Zé, que comemorou seu aniversário com direito a bolo e muito barulho na hora dos parabéns.

Foto: Jacqueline Fernandes
Foto: Jacqueline Fernandes

“Já estou perguntando se o Circuito vai ser anual, se vai acontecer mais vezes. É uma festa inédita aqui e é difícil reunir várias pessoas da nossa comunidade que fazem comidas maravilhosas em um único local. Conheço quase todos os cozinheiros daqui e quando soube que ia acontecer hoje, no dia que faço quarenta e tantos anos, eu vim correndo!”. Comenta.

“Comi um salgado, adorei a tapioca e as cervejas estão sempre geladas. O preço achei maravilhoso também. É um momento especial e acredito que fora daqui a gente ia gastar muito mais. De toda forma, é importante valorizar a nossa comunidade. Já peguei a revistinha para ver as próximas datas”. Completa dona Vilma, apontando as amigas que se divertem na mesa, que foi coberta por uma grande estrutura para dar mais conforto a quem ia prestigiar o evento. “Glória, Elaine, Flávia, tem um amigo meu de Israel aqui também e estão curtindo muito, já dei até uma cerveja para ele”. Finaliza no meio de muitos risos.

Além da degustação, o projeto levou shows com Flávio Renegado, Eedu akrieguer, João Cavalcanti, Thais Macedo, artistas convidados, talentos da própria comunidade e atividades para as crianças. “É um evento muito show de bola e é bom termos esse tipo de festa por aqui. Eu caprichei na limpeza. Vocês merecem! Me sinto lisonjeado de estar aqui colaborando.” comemora o Gari Sorriso, que não parava de sambar enquanto realizava o trabalho de coleta de lixo.

Flávio Renegado e samba da vera no palco - Foto: Jacqueline Fernandes
Flávio Renegado e samba da vera no palco – Foto: Jacqueline Fernandes

A próxima festa acontece no Andaraí dia 25, na Rua Geribá e dia 01 de dezembro no Terreirão do Samba, com entrada a partir de R$ 2,50 (meia), reunindo todos os participantes do Circuito em uma grande confraternização. A opção de meia entrada inclui doação de 1kg de alimento não perecível ou brinquedo que serão doados às comunidades participantes.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]